Presidente do Sintrarc e diretor da Fethemapi foi empossado presidente do Comsea

foto1

Na manhã da última quinta-feira, 5 de julho, o sindicalista Raimundo Pedro de Jesus, presidente do Sintrarc e diretor da Fethemapi, foi empossado como presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar (Comsea).

O Conselho Municipal de Segurança Alimentar (Comsea) tem como função “desenvolver, criar normas, monitorar, orientar e deliberar sobre políticas públicas da área de SAN”. (Lei de N 4.217).

Para Raimundo Pedro de Jesus, presidente do Comsea, o papel de cada cidadão é contribuir, junto ao Comsea, para a diminuição de pessoas que vivem em insegurança alimentar. “É de responsabilidade social e um órgão fiscalizador das ações do poder municipal que tem como objetivo propor uma política de segurança alimentar que deverá ser executada pelo ente público. Junto aos conselheiros, terei um desafio enorme de reforçar a importância de políticas públicas que garantam efetivamente o direito humano à alimentação adequada.

foto2

Raimundo Pedro também destacou a importância do Conselho de Segurança Alimentar em relação ao seguimento de hotelaria, turismo e hospitalidade. “Uma população não sadia e sem alimentação adequada não poderemos ter um turismo de qualidade em nosso estado, principalmente em nossa capital.

O presidente do Sindehotéis e da Fethemapi, Luiz Henrique Pereira da Silva, ressaltou que o Conselho de Segurança Alimentar funciona como órgão fiscalizador, “tendo em vista a relevância no processo de mudança do quadro de insegurança alimentícia, cuja a finalidade é proporcionar alimentação de qualidade, principalmente em relação ao sistema econômico do município, onde há, também, grande movimentação no ramo turístico e hoteleiro da capital”, pontuou.

Também presentes na solenidade de posse os diretores José Benedito Castelhano Fonseca, Euzebina Maria dos Santos e Ana Mendonça Silva.

Comsea

O Comsea é órgão orientador, monitorador e fiscalizador das ações do poder público no âmbito da Segurança Alimentar. Em sua composição são 21 membros, sendo 14 do poder público e sete da sociedade civil, além de igual número de suplentes, somando 42.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *